021~180.jpg
020~188.jpg
019~187.jpg
018~198.jpg

FORBES: Taylor Swift roubou a cena sem esforços, nem mesmo um tweet..

Postado por: Jefferson
Categorizado em: Notícias

Ama-a ou odeie-a, você precisa dar acessórios importantes para Taylor Swift apos o seu domínio sobre os meios de notícias. Ela sabe jogar e ganhar o jogo melhor do que talvez qualquer outra estrela no jogo atualmente.

Você, sem dúvida, ouviu a notícia de que Taylor Swift apenas permitiu que serviços de streams (incluindo Spotify, Amazon Music, Tidal e Pandora) disponibilizassem seus albuns. Posso dizer com confiança que você já ouviu isso porque a notícia está em todo lugar. Foi um dos assuntos mais comentados no Twitter e outras redes sociais sem parar desde que as novidades foram anunciadas, e você pode encontrar as manchetes em praticamente todos os negócios, entretenimento, fofocas e sites de notícias.

Embora a mudança tenha sido apresentada como uma celebração dos 10 milhões de vendas mundiais de seu álbum 1989 e 100 milhões de downloads de músicas, não demorou muito para que as pessoas notassem que foi no mesmo dia do lançamento de witness da sua rival, Katy Perry.

Os Swifties saudaram imediatamente o lançamento como vingança para Perry depois de citar Swift para NME, James Corden e outros depois da chamada “faixa diss” Swish Swish. Na realidade, provavelmente foi. Mas, não espere uma confirmação de Swift sobre o assunto. Ela é praticamente silenciosa nas redes sociais desde fevereiro, tirando um ou outro tweet como o de condolências após o ataque terrorista de Manchester e algumas postagens no instagram pra divulgar amigos, o que significa que ela está mais uma vez dominando cenario de cultura pop sem ter que dizer uma palavra. O lançamento foi tão perfeito quanto se pode imaginar.

A verdade é que o migração para os outros serviços provavelmente era iminente, e a coincidência com o lançamento de Witness era apenas uma estratégia de marketing brilhante (embora pareça bobinha). 1989 está agora diretamente no território “catálogo”, tendo passado os últimos meses no final do (e algumas semanas nem sequer incluídas) Billboard200. O consumo de streaming ajuda a determinar as posições do gráfico do Top 200, e 1989 estava em uma desvantagem grave, sendo excluído do maior serviço de streams do mundo. Na semana passada, por exemplo, 1989 vendeu 1.903 cópias nos EUA, mas recebeu crédito por 4.158 vendas de álbuns equivalentes, graças a 1.6 milhão de córregos na Apple. Esse total foi suficiente para que Swift atingir o número 191 no bb200. Kendrick Lamar e Drake venderam menos cópias físicas, mas graças a mais de 10 milhões de streams, cada um desembarcou nos números 59 e 71, respectivamente.

O motivo da Taylor ter tirado os albuns do Spotify em 2014, foi pelo serviço nao pagar justamente aos compositores. O serviço de streaming deu grandes progressos nos ultimos três anos, já que compensou justamente os compositores, tornando o retorno de Swift algo que não chega perto de “Estou mudando de opinião agora”.

O retorno de Swift aos serviços de streams no dia do lançamento da Witness não só ajuda a roubar a cena da sua rival Perry, mas também eleva o que teria sido uma grande jogada para encabeçar notícias em todo o planeta. Swift domina conversas e mindshare sem esforço nenhum: nenhuma música nova, nenhum vídeo, nem mesmo um tweet. Ela, sem dúvida, aproveitará uma enorme subida nas tabelas na próxima semana, também, à medida que milhões de fãs fizerem ouvirem suas músicas. E, embora seja praticamente impossível que Swift possa acumular fluxos suficientes para barra witness no Billboard 200 (levaria milhões de córregos), ela roubou a cena … e às vezes isso é ainda mais importante

Fonte